quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Areias do Infinito

Que desprezível isso.
Aquilo que me faz sentir vergonha me amarra fazendo - me ficar calado!
Minha vontade é de rasgar os meus pulmões, vomitar meu erros, 
arrancar os meus cabelos e nunca mais cometer 
as burradas que nunca saem de diante de mim.
Preciso de descanso,  ir as areias do infinito e viajar junto as brisas.
Como se eu não soubesse onde encontrar tal descanso.

Ja você...

Você sabe que isso me deixa com ciumes.
Mesmo assim fala.
Não convém ao caso, mas fala.
Porque cutucar a convicção?
Provocar vira Hobbie né?!
Espera, enquanto você provoca 
eu não faço nada demais e mesmo assim cutuco.
Eu me garanto, ja você...
Tudo depende de você!

Espero que apague

Na verdade desde o inicio eu já me sentia inconformado
Como pode haver alguém assim?
Considerável até como desumano 
Pode um ser humano não sentir nada em cometer esses atos?
Espero que esse furor que me consome 
da vontade de ver algo acontecer com você, apague.